Postagens

Feedback

Após pódio na Austrália, Verstappen afirma que potencial da Red Bull só vai ser conhecido na China

O pódio de Max Verstappen no GP da Austrália chamou a atenção para o potencial da Red Bull na temporada 2019 da Fórmula 1. Perto da segunda etapa da temporada, que acontece no Bahrein, o piloto holandês elogiou o traçado de Sakhir. Em comentário feito ao site da Red Bull, Verstappen comentou sobre as características da prova, como a transição do dia para a noite e as adversidades que podem acontecer no treino classificatório. Em 2018, o jovem se classificou em 15º após um acidente e abandonou a corrida na terceira volta, com problemas de transmissão depois de um toque com Lewis Hamilton.
"Eu gosto da pista, e a transição do dia para a noite é um desafio em termos de balanço do carro, o que sempre torna o fim de semana interessante", comentou. "Você nunca sabe onde estará quando começa a classificação, porque você não teve a preparação ideal, já que as condições da pista não são as mesmas durante o treino", pontuou.
O dono do carro #33 também elogiou o segundo setor da…

Indy estampa na lateral dos carros homenagem a Charlie Whiting durante etapa em Austin

O Brasil quando Lula era presidente era assim

Pepe Mujica: “Talvez sonhassem que a Infantaria brasileira entraria com os mortos"

Senado lança a coleção Escritoras do Brasil

Lucro dos clubes com patrocínio máster despenca... E vários estão sem parceiros

Miami vota na próxima semana proposta para sediar GP de Fórmula 1 a partir da temporada 2020

Jornalista da ESPN expõe tuiteiro que o xingou e este é demitido

De medíocre a espetacular: Bottas se impõe. Mas não vai ser assim em 2019

Carlos Bolsonaro coloca em risco a recuperação econômica do país

Duas vezes vencedor da Indy 500, Wheldon é eleito para Hall da Fama de Indianápolis oito anos após morte

Motos e Motoqueiros | Questão Brasil | 2019 é, enfim, o ano da Ducati? Como estão as apostas em Dovizioso após a vitória no Catar

Ralf Schumacher critica “clima de medo e terror” e diz que Williams é administrada “como nos anos 70 e 80”