Bolsonaro critica Ibama, apaga tuíte e presidenta do órgão rebate: "completo desconhecimento"

Ocupado com sua conta no Twitter durante o fim de semana, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) compartilhou tuíte do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acusando o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) de “montanhas de irregularidades” a partir de uma licitação no valor de cerca de R$ 30 milhões para aluguel de carros. Após a presidenta do Ibama, Suely Araújo, divulgar nota na noite deste domingo (6) afirmando que as suspeitas levantadas pelo novo governo demonstram “completo desconhecimento da magnitude” do órgão, Bolsonaro apagou o tuíte com as críticas e apenas retuitou a mensagem de Salles.
“As viaturas do Ibama são objeto de um contrato de locação de âmbito nacional. O novo contrato abrange 393 caminhonetes adaptadas para atividades de fiscalização, combate a incêndios florestais, emergências ambientais, ações de inteligência, vistorias técnicas etc., nos 27 estados brasileiros, e inclui combustível, manutenção e seguro, com substituição a cada 2 anos. A acusação sem fundamento evidencia completo desconhecimento da magnitude do Ibama e das suas funções”, diz trecho da nota emitida por Suely Araújo.
A presidenta do Ibama diz ainda que o valor estimado para o contrato era maior e foi reduzido ao longo do processo licitatório, “que observou com rigor todas as exigências legais e foi aprovado pelo TCU”.
Bolsonaro critica Ibama, apaga tuíte e presidenta do órgão rebate: "completo desconhecimento"

Comentários