Ascensão e queda de Joesley Batista que tenta de tudo para evitar o fracasso da sua bombástica delação

Só nas últimas semanas, ele foi ouvido em investigações sobre o ex-ministro e deputado eleito Alexandre Padilha (PT), em São Paulo; o ex-governador Sergio Cabral, no Rio; e o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves, no Rio Grande do Norte. Também esteve em Brasília, para falar com os juízes auxiliares que trabalham com o ministro do Supremo Edson Fachin, responsável pela relatoria da validade do seu acordo. 
A expectativa é que o julgamento ocorra no primeiro semestre. O périplo de Joesley pela Justiça acontece numa tentativa de evitar a rescisão do acordo de delação do empresário. 
O Ministério Público Federal, no entanto, afirma que tanto Joesley como seu sócio, Ricardo Saud, omitiram informações e pede o cancelamento do acordo. A delação dos donos da JBS mergulhou o País mais uma vez em uma grave crise política, com fortes implicações na economia. 
Joesley Batista, um dos donos, entregou uma gravação em que o presidente Michel Temer apareceria dando o aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha. Quando a crise estourou, Joesley Batista não estava mais no Brasil, pelo contrário, o empresário segue nos Estados Unidos, onde goza de uma vida luxuosa e da impunidade.
O bilionário faturou até mesmo com os desdobramentos da própria delação, com a compra de dólares e venda de ações. Confira o vídeo e saiba quem é Joesley Batista e como o grupo JBS cresceu nos últimos anos com ações corruptas que envolvem boa parte da classe política brasileira.

Comentários