Padriho Político nas estatais - Ingerência de políticos é maior em cargos da alta cúpula da Petrobras

Uma diretoria da Petrobras ou qualquer outra estatal interessa mais aos políticos do que muito ministério.

Um afilhado nessa posição administra contratos milionários e abre portas entre grandes fornecedores, potenciais doadores de campanha.

Já entre os funcionários, o estímulo para buscar um padrinho político vem da estrutura salarial da Petrobras.

A empresa, que em 2013 pagou US$ 5,5 milhões em salários para seus executivos, não divulga a remuneração individual.

O Jornal O GLOBO divulgou que um engenheiro em início de carreira não ganha mais do que R$ 10 mil. Se vira coordenador ou gerente, dobra seu salário. Como gerente geral, chega aos R$ 40 mil. Um diretor pode chegar a R$ 100 mil mensais, com bônus.

A Petrobras tem hoje 6.500 cargos executivos em sete diretorias e dezenas de subsidiárias.
Ingerência de políticos é maior em cargos da alta cúpula da Petrobras - Jornal O Globo

Comentários