Dinheiro doado para basílica foi usado na compra de mais de mil imóveis


A obra do Santuário do Divino Pai Eterno, em Trindade, recebia a visita de 1.500 pessoas todos os dias antes da pandemia. O padre Robson de Oliveira, reitor da basílica, é investigado por supostamente ter chefiado um esquema bilionário que desviava dinheiro da doação de fiéis. 
A Record TV teve acesso às planilhas financeiras da AFIPE, entre 2015 e 2018. No total, foram movimentados R$ 1,7 bilhão. O orçamento inicial era de R$ 100 milhões. A denúncia já tem reflexos na cidade de Trindade (GO).

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019