Existência do gabinete do ódio - milícia digital bolsonarista



Desde o surgimento da Internet e seu exponencial crescimento no Brasil a Web nunca recebeu das autoridades a devida atenção para essa ferramenta poderosíssima que garante o direito de expressão das minorias, leva Educação e Cultura aos quatro cantos do globo, é a mesma que atende com a mesma eficiência aos anseios de pessoas desprovidas de empatia, humanidade e bom senso.
Desde a década passada se discute uma regulamentação para os novos meios de comunicação digital, onde todos podem ser "jornalistas, radialistas e articulistas" em suas próprias redes de TV, tão poderosas quanto os meios de comunicação tradicionais. O que impede esse regramento é a âncora da Constituição que garante a Liberdade de Expressão e o medo de grupos políticos de que alguém crie mecanismos para neutralizar adversários e ter sob seu domínio a opinião alheia, sendo passivo de punição, aquelas que destoarem do que eles pensam.
Estamos atravessando um deserto repleto de desinformação, discursos de ódio e o que conta a cada dia é única e exclusivamente o pensamento de quem pode e esta emitindo tal opinião. Não há sensatez em atacar outras pessoas de maneira gratuita, seja por conta do gênero, cor de pele ou condição social. 
O famigerado gabinete do ódio, que tem sua criação atribuída aos filhos do Presidente da República, é muito mais amplo do que os limites palacianos ou de gabinetes legislativos, há parlamentares eleitos na última eleição em 2018 que construíram sua base eleitoral sobre uma estrutura formada basicamente na Internet, atacando, difamando e causando constrangimento a quem pensava diferente ou defendia outras teses que não fossem de encontro aos seus pensamentos.
Há quem festeje na esquerda o inquérito das fakenews do Supremo Tribunal Federal porque nos últimos meses tem desarticulado as trincheiras da extrema direita, esquecendo que a instauração deste inquérito foi justamente para frear o ímpeto da própria esquerda motivada pela prisão e condenação do ex-presidente Lula para tira-lo do processo eleitoral.

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019