Em seu primeiro depoimento, Queiroz diz à PF que desconhece vazamento de investigação para Flávio Bolsonaro

Em seu primeiro depoimento prestado desde que se tornou pivô das investigações envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o ex-assessor Fabrício Queiroz afirmou nesta segunda-feira à Polícia Federal que desconhece o suposto vazamento de informações de uma investigação que lhe atingiria no caso da "rachadinha", como relatado anteriormente pelo empresário Paulo Marinho.
Imagem do momento da prisão de Fabrício Queiroz em Atibaia, em imóvel do advogado Frederick Wassef, que defendia Flávio Bolsonaro Foto: Reprodução/MP-SP
Queiroz foi preso preventivamente no último dia 18, a pedido do Ministério Público do Rio, na Operação Anjo. Custodiado no presídio de Bangu 8, o ex-assessor foi ouvido na tarde desta segunda-feira, na condição de testemunha, pelo delegado da PF do Rio Jaime Cândido por meio de videoconferência, para evitar risco de contágio por coronavírus.

De acordo com investigadores, em seu depoimento Queiroz negou ter conhecimento de irregularidades sobre esse assunto e disse que nunca teve informações antecipadas de investigações. Queiroz disse à PF que foi ele próprio quem pediu para ser exonerado do cargo de assessor do gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio, negando a suspeita de que foi demitido por Flávio após ele ter obtido informações confidenciais de que seu então assessor seria alvo de investigações em curso devido a uma movimentação bancária incompatível.

Rachadinha: MP-RJ pede ao STF para devolver investigação de Flávio Bolsonaro à 1ª instância

Como justificativa para seu pedido demissão, Queiroz disse à PF que estava "cansado" de trabalhar como assessor político e que iria cuidar de problemas de saúde.
Fonte: Em seu primeiro depoimento, Queiroz diz à PF que desconhece vazamento de investigação para Flávio Bolsonaro - Jornal O Globo

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019