Em discurso com palavrões, Bolsonaro volta a defender a indicação de Eduardo para Embaixada



Em 1 discurso com palavrões usados para rebater a imprensa, o presidente Jair Bolsonaro voltou a advogar pela a indicação de seu filho 03, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para a embaixada dos Estados Unidos e voltou a criticar a mídia. 

Bolsonaro falou com a imprensa durante uma entrevista em Sobradinho, na Bahia, onde participou da inauguração de uma usina solar flutuante. Os ministros Bento Albuquerque (Minas e Energia) e general Heleno (GSI) e o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, acompanham Bolsonaro.

O presidente falou sobre a necessidade de manter terras e riquezas nacionais com brasileiros: “Deixem acabar aí o nosso minério. Exaurir a nossa terra. E alguns aí querem vender para estrangeiro ainda, né? Vamos abrir mão da nossa segurança alimentar. Você vai viver do quê? De capim? Todo mundo igual? Já que falam tanto, a Folha, que falei palavrão, então deixa eu falar de novo: viver todo mundo igual na merda!”  

No seu discurso, o presidente também demonstrou irritação com uma reportagem do Grupo Globo que indicou 102 pessoas de grupos familiares contratados por ele e por seus filhos ao longo dos anos: “Agora botam na minha conta 102 como se fosse o maior nepotista do mundo? Não botaram minha esposa. Por quê? Bota a minha esposa! Trabalhou na Câmara comigo, porra! Bota lá, porra!”

No final, o presidente se comparou à personagem de desenho animado Johnny Bravo, bricandeira que foi recorrente na campanha de 2018: “A campanha acabou para a imprensa. Eu ganhei! A imprensa tem de entender que eu, Johnny Bravo, Jair Bolsonaro, ganhou, porra! Ganhou, porra! Vamos entender isso. Vamos trabalhar juntos pelo Brasil”.

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019