Revoltado com arbitragem, presidente da Chape diz que pedirá anulação de jogo contra o Goiás

Derrotada por 3 a 1 para o Goiás na noite desta segunda-feira, a Chapecoense promete pedir a anulação do jogo. Em entrevista para a rádio Oeste Capital, ainda no Serra Dourada, o presidente Plinio David de Nes Filho, o Maninho, criticou a atuação da equipe de arbitragem e disse que entrará com o pedido de cancelamento.
mandatário da Chape reclamou de decisões da arbitragem — Foto: Sirli Freitas/Chapecoense
Segundo o mandatário, as decisões na marcação do pênalti de Márcio Araújo em Léo Sena e a expulsão de Bruno Pacheco, no segundo tempo, foram erradas e prejudicaram a Chapecoense. Na visão de Maninho, houve despreparo e falta de competência da equipe comandada por Igor Benevenuto.

- Uma arbitragem despreparada prejudicou a Chapecoense no pênalti que não existiu e depois ele deveria consultar o VAR no cartão vermelho, assim como foi com o Nikão, em São Paulo, quando anulou a expulsão. Vai ver que ele entrou na bola e pegou o jogador depois. Viria que merecia o cartão amarelo - disse o presidente.

"O futebol está comprometido pela falta de competência. Estamos solicitando o cancelamento da partida pelos erros que ocorreram aqui no jogo de hoje. Alguém tem que começar a tomar atitude."

- Desta maneira, a gente não pode fazer um futebol sério. O futebol está comprometido pela falta de competência. Estamos solicitando o cancelamento da partida pelos erros que ocorreram aqui no jogo de hoje. Alguém tem que começar a tomar atitude. Falo do despreparo do árbitro e de quem opera o VAR - finalizou.

Com sete pontos, a Chapecoense está fora do Z-4, mas empatado em pontos com o Fortaleza, que abre a zona da degola. Na próxima rodada, a última antes da parada da Copa América, o Verdão recebe o Fluminense, na Arena Condá.

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019