Precipitado, Arthur diz que caso Neymar já está esclarecido: "Ela queria audiência e seguidores no Instagram"

Um dos jogadores mais próximos de Neymar no grupo da seleção brasileira, Arthur foi o primeiro atleta a dar entrevistas depois do corte do atacante. Em casa, no CT do Grêmio, clube que o formou, ele ignorou o transcurso das investigações sobre a acusação de estupro feita por uma mulher contra Neymar, e também sobre suposto crime virtual cometido por ele ao exibir fotos íntimas da acusadora num vídeo de internet. Para o volante, o caso está esclarecido.
Arthur em entrevista coletiva da seleção brasileira, no CT do Grêmio — Foto: Alexandre Lozetti
– Já foram esclarecidos os fatos. Mentira tem perna curta, o bem sempre vai vencer o mal. Quanto mais a gente falar, vai ser pior. Era isso que ela queria, essa mídia, essa badalação toda. As notícias polêmicas têm mais audiência – disse Arthur.

Para ele, não há mais o que falar do assunto, ainda mais agora que Neymar está cortado. O ex-gremista, nascido em Goiás e revelado no clube alviverde, prosseguiu. Com riso debochado, disse que a mulher gostaria de ter benefícios com a acusação.

– Ele ficou bastante chateado porque uma acusação dessas não tem cabimento. O importante é que todos estão juntos com ele e os fatos estão sendo esclarecidos. Quanto mais gente falar desse assunto, vai ser melhor para a pessoa que fez essa acusação. Era isso que ela queria: audiência, dar entrevistas em emissoras e ganhar seguidores no Instagram.

Arthur disse que ficou sabendo do corte de Neymar pelo próprio jogador, pouco antes do anúncio do coordenador Edu Gaspar para todo o grupo. Ele lamentou a lesão no tornozelo direito que tirou o amigo da Copa América, mas disse que a força coletiva do grupo poderá suprir sua ausência.

– Ele era nossa referência técnica, mas o conjunto da Seleção é muito forte. Perdemos um grande jogador, um dos nossos líderes, mas o importante é que temos outras peças para suprir. Não adianta um ou dois estarem bem e os demais mal, e nessa tecla do coletivo o Tite bate bastante – afirmou o volante do Barcelona.

Companheiro de Messi, a quem considera o melhor do mundo, Arthur também descartou a necessidade de os jogadores da seleção brasileira precisarem de mais empenho agora, sem Neymar.

– Sempre que um jogador de alto rendimento entra em campo deixa seu melhor. Não temos na cabeça entrar e nos poupar, vamos com 100%, 110%. Tendo uma referência como Neymar ou Messi, as coisas podem fluir mais facilmente. Mas, como eu falei, o coletivo estando bem, temos outros jogadores de qualidade técnica impressionante.

A seleção brasileira voltará a campo neste domingo, em amistoso contra Honduras, às 16h, no Beira-Rio.

Confira outros trechos da coletiva de imprensa:

Treinar no Grêmio

Chego a arrepiar (mostra o braço). Não é mentira. Tenho carinho muito especial pela cidade, por esse clube. Foram anos maravilhosos. De lutas, glórias, vitórias. É o clube do meu coração, onde fiquei desde os 14 anos. O clube que me projetou e tornou possível ser jogador de futebol. Tenho carinho especial por esse clube, pelos funcionários, pela torcida. Sou cara muito feliz de poder voltar para minha casa.

Força do grupo

Desde quando ele (Neymar) estava aqui com a gente sempre frisamos a força do coletivo. Era nossa referência técnica, mas nossa seleção no coletivo e no conjunto é muito forte. Temos peças para suprir nossas necessidades. Não adianta um ou dois irem bem e os demais irem mal. Essa tecla do coletivo é que o Tite cobra bastante.

Como suprir ausência

No meu ponto de vista sempre que jogador de alto rendimento entra em campo deixa a vida, faz o melhor sempre. Sempre vai deixar 100%, 110%. É a mesma coisa agora. Óbvio que tendo referência dessa como Neymar ou Messi, pode fluir mais facilmente o jogo. Mas o coletivo está indo bem, temos qualidade e outros jogadores de qualidade com técnica impressionante que podem nos ajudar também.

Críticas à convocação de William

Qualquer que fosse a pessoa que Tite convocasse teria opiniões contrarias. Ele é ótimo jogador, está vindo de fase excepcional. Foi campeão da Europa League. Tem todo nosso apoio, todo apoio da comissão. Não à toa que foi convocado. Ele só tem a agregar a gente.

Mudança de posição ao lado de Casemiro

Joguei nesses dois esquemas mais clássicos. Com três homens de meio ou com dois. Não vejo muita diferença. Todos somos capacitados. Legal testar, sempre bom aprender novos esquemas. A adaptação foi boa nesse novo esquema. O professor Tite vai escolher um dos dois esquemas, mas estamos capacitados para os dois.

Carinho pelo Goiás

Goiás é outro clube que tenho carinho muito grande. Lá fiquei dos 7 aos 14 anos. Me proporcionou chegar ao Grêmio. Minha família mora lá. É uma cidade que adoro, onde nasci. Nas férias sempre tento passar lá, ver meus amigos de infância que estão lá ainda. É um clube que tenho carinho e acompanho, como o Grêmio. Também é minha casa.

Diferença de esquema no Barça e na Seleção

Maior diferença é que começo a participar da construção mais na frente no Barcelona. Atrás da primeira linha do adversário. Aqui tenho mais liberdade de descer mais recuado e construir a jogada. Acho que isso é a maior diferença. Tite me deu mais liberdade para buscar a bola mais atrás. No Barcelona não tenho essas liberdade. Lá tenho que receber mais entre linhas e chegar mais no ataque. Essa é a grande diferença.

Visita de gremistas e relação com colorados

Não encontrei pessoalmente ainda o pessoal do Grêmio. Conversei com o Luan, grande amigo meu. Ele viria no CT, mas não pode vir. Já o Renato pensei em bater no quarto, para acordar, mas estava tarde. Melhor encontramos hoje. Quero dar abraço, conversar com ele. Cara que gosto muito.

Sobre o Alisson, já o conhecia antes de ser profissional. Sempre fomos grandes amigos, tenho carinho especial por ele. Grande amigo meu. Na concentração não tem rivalidade e disputa Grenal não (risos).

Como soube do corte de Neymar?

No intervalo voltou, ele estava fazendo exames e ele falou que ia para o hospital fazer ressonância. Chegamos no hotel, ele estava com os exames em mão. Eu como sou muito próximo dele conversei. Ele disse que ia ser cortado. Logo depois veio o assunto oficial. O Edu que pediu a palavra na sala de refeição. Foi um baque muito grande.

Pressão em casa

A gente sabe que a pressão é o dobro, o triplo do tamanho. Mas temos jogadores com mais experiência. O próprio Tite e a comissão são muito preparados em como lidar com a pressão. O que fazer. Ela existe, mas estamos preparados para suportar.

Como Neymar estava?

É difícil de lidar. Ele ficou bastante chateado. Risos acusação dessa não tem cabimento, aconteceu, mas todos estão junto com ele. Creio que não tem muito o que falar desse assunto. Era isso que ela queria. Ganhar audiência, ganhar seguidores no Instagram, dar entrevista na TV. Tudo já foi esclarecido. É acabar com esse assunto de uma vez por todas.

Incentivo da torcida

Essa cobrança, não só aqui em Porto Alegre, mas no Brasil todo vai existir. Mas estamos focados, queremos vencer a competição. Estamos preparados para isso. Estamos acostumados, o essencial de jogar em casa é o calor da torcida. A gente sabe o quão fanático são os brasileiros com o futebol. Queremos eles nos empurrando o tempo todo.

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019