Reforma da Previdência precisa de articulação e não pressão dos poderes

Resultado de imagem para bolsonaro e guedes
      O Brasil governado pela extrema-direita é um país fértil para as contradições, e olha que o nosso presidente nem é tão de direita assim, ele é apenas preconceituoso e não tem o mínimo cacoete de gestor, isso leva o país a ter várias pautas difusas e nenhum foco para resolver os problemas cotidianos da nação. O governo reformista na verdade quer apenas mostrar que o poder executivo tem a palavra final sobre o destino da nação, ignorando solenemente a importância dos demais poderes, da imprensa e do terceiro setor.
     A esquerda brasileira apostava que os Bolsominios já teriam abandonado o Presidente que elegeram, isso com apenas cinco meses de mandato e percebeu que apesar de ser bem menor do que o clã imaginava que fosse, ele ainda está presente entre os brasileiros. A pauta da direita é acusar e combater a esquerda, mas piorando a vida do povo como estão fazendo logo vão começar a se auto-acusar e dirigir o fogo amigo a antigos aliados para tentar sustentar o poder que alcançaram nas últimas eleições, os integrantes do MBL já sentiram isso na própria carne, mesmo não sendo os únicos a abandonar o barco bolsonarista neste momento.
     A jornalista Vera Magalhães integra aquele núcleo que podemos nominar como sendo o da imprensa direitista no qual estariam incluídos Míriam Leitão, Willian Waack, Augusto Nunes, Marco Antônio Villa, José Neumane Pinto, Gilberto Dimenstain, entre outros, assim como eles, os eleitores de Bolsonaro ainda não deram o braço a torcer sobre ter ajudado a eleger alguém incompetente para comandar o Brasil, e sem o Partido dos Trabalhadores como referência que justifique as decisões do atual presidente eles também parecem não ter muito o que dizer em seus programas e colunas. Outro dia Míriam Leitão escreveu que Bolsonaro não sabe governar, escancarou aos seus leitores que até agora só contabilizamos cinco meses perdidos e nenhuma decisão prática para diminuir o desemprego e recolocar o Brasil nos trilhos do crescimento, mas essa meá culpa só será aceita pela população se vier acompanhada de um pedido de desculpas e pelo reconhecimento da perseguição insana a Lula e ao PT ao ponto de desconstruir tudo o que os governos petistas construíram em termos de inclusão e cidadania dos brasileiros.
     Sim, falta articulação ao governo e traquejo político aos ministros que não se comportam como autoridades de estado, mas não é só articulação que tem faltado. Bom senso, habilidade e principalmente dialogo com quem pensa diferente é o que mais é questionado em relação ao que tem sido feito ou proposto pelos governantes da "Nova Era".
     Esses jornalistas que tanto criticam os governos do PT por terem incluído o povo mais humilde nas políticas do governo federal, chegando ao cúmulo do absurdo de propagar que o Brasil se transformaria numa Venezuela se a esquerda voltasse ao poder, são os mesmos que sequer são ouvidos pelos atuais integrantes do Planalto e recebem críticas severas quando emitem alguma opinião contrária sobre decisões tomadas de rompante por eles.
     Lembro que são só cinco meses deste governo, não deu tempo de percebermos ainda as mudanças que já criticamos tanto, a tendência é que piore muito mais, a tal ponto que até a direita sinta saudades dos tempos em que o PT governava este país. O desesperador nisso é que Lula não terá tempo de retomar os trabalhos e sem uma liderança como ele pode ser impossível consertar aquilo que esta sendo desconstruído e desfazer os retrocessos percebidos até agora. 

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019