Em meio a impasse do brexit, a primeira-ministra Theresa May anuncia sua renúncia

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou na manhã desta sexta (24) que deixará a liderança do Partido Conservador no dia 7 de junho, abrindo caminho para uma troca no comando do país nos próximos meses.
Em pronunciamento na sede do governo, em Londres, ela disse lamentar não ter conseguido finalizar o processo da saída britânico da União Europeia, o brexit, e afirmou ter sido uma honra ser a segunda mulher a ocupar o posto de chefe de governo, “mas não a última”.

PÓS CAMERON – May assumiu o posto em julho de 2016, depois da renúncia de David Cameron, fragilizado pelo resultado surpreendente do plebiscito sobre o brexit, um mês antes.

Depois de um ano e meio de negociações, ela conseguiu, no fim de 2018, fechar um acordo com a UE para o desligamento do Reino Unido do consórcio europeu, mas ele foi rejeitado três vezes pelo Parlamento em Londres.

No processo, ela resistiu a duas moções de desconfiança, uma delas submetida por seus próprios colegas de partido. Mas a pressão para sua saída voltou a subir no começo desta semana, quando ela apresentou um plano “retocado” para tentar convencer os deputados a endossar o “divórcio” do bloco europeu.

SEGUNDA CONSULTA – A nova proposta abria a possibilidade de uma segunda consulta popular sobre o brexit –o Legislativo teria a prerrogativa de definir se ela de fato aconteceria.

O aceno enfureceu os correligionários de May. Até seus ministros a repreenderam, dizendo que o item não havia sido acordado em reunião do gabinete.

A corrida para sucedê-la no comando do Partido Conservador (e, por extensão, do país) deve durar entre seis e oito semanas. O ex-prefeito de Londres Boris Johnson, defensor de um brexit duro, talvez até sem acordo com a UE, é dado como favorito.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O Reino Unido jamais quis participar da União Europeia e manteve a libra esterlina em circulação. Os britânicos ainda sonham ter aquela importância do império onde o sol nunca se punha, mas as coisas mudaram muito. Podem até sair da União Europeia, mas viverão sempre a reboque dela. Uma coisa é o enfeite da tradição, outra coisa é a realidade das ruas. (C.N.)
Lucas Neves/ Folha


TRIBUNA DA INTERNET | Em meio a impasse do brexit, a primeira-ministra Theresa May anuncia sua renúncia

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019