Ao postar texto do país ingovernável, comentarista da TI ficou famosa por 15 minutos

“Estarrecida, desanimada estou. Recebi e repassando análise muito coerente e fria!”, escreveu Maria Lúcia Fernandino às 11 horas de quinta-feira, dia 16, ao postar na “Tribuna da Internet” o texto sobre o “país ingovernável” que o presidente Jair Bolsonaro iria transmitir por WhatsApp no dia seguinte, com grande enorme repercussão. Quem descobriu a postagem de Maria Lúcia Fernandino foi O Globo, que publicou reportagem mencionando que a publicação na “Tribuna da Internet” tinha sido feita um dia antes de Bolsonaro distribuir o texto.
Resultado de imagem para quem é?
Logo surgiram muitas especulações se Maria Lúcia Fernandino usava seu próprio nome ou pseudônimo, se era ligada a Bolsonaro ou se tudo não passava de coincidência.

PERGUNTAS DE AQUINO – “O que causa espécie é a Maria Lúcia Fernandino escolher a Tribuna da Internet para reproduzir um artigo de “autor desconhecido”. Seria Maria Lúcia amiga do “tal autor desconhecido?”. Ao optar pela Tribuna da Internet, qual a intenção? Criticar Bolsonaro, não acredito. Não dá para entender assim”, postou o comentarista Antonio Santos Aquino, acrescentando:

“O que dá para se imaginar é que o capitão já identificou a Tribuna da Internet e descobriu que aqui tem balas de todos os tipos zunindo em todas as direções e algumas com calibres poderosos que derrubam um avião, direcionadas a ele. É bom que ele ou seus “milicianos” leiam a Tribuna da Internet. Terão momentos de alegria e momentos de terror pelas verdades ditas”.

PIMENTA EXPLICA – Imediatamente, o comentarista James Pimenta entrou no circuito para dar esclarecimento: “Maria Lucia Fernandino é minha amiga de longa data, e participamos de alguns blogs de política, ela não é pessoa de má fé ou agente infiltrada de qualquer lado. Ela gostou do texto e postou, eu posso fazer o mesmo”, assinalou Pimenta, advertindo:

“Acredito que esse veículo não tem intenção de patrulhar ninguém. Se assim for, talvez me seja benéfico ser excluído, tem hora que a mesquinharia de apelidos ridículos e/ou eivados de maledicência gratuita me desanima”.

DIZ MARIA LÚCIA – A comentarista Maria Lúcia Fernandino então explicou sua participação no caso. “Não tenho Facebook. Copiei e colei do zap que recebi de amigos. Quanto aos “nicknames” (apelidos) já usei sim, várias vezes, mas o pessoal daqui começou a dizer que quem se esconde atrás de “nicks” são pessoas no mínimo covardes, então coloquei meu nome para ninguém ter mais dúvidas de que covarde não sou”. E revelou;

“Acompanho a Tribuna da Internet desde quando ela era Tribuna da Imprensa e quem comandava, além do Carlos Newton, era também o irmão do Millôr Fernandes – o jornalista Hélio Fernandes. E ninguém me avisou que eu iria ficar “famosa” alhures… rsrsrs”.

###
P.S. 1 – Nos frenéticos anos 70, o artista multimídia Andy Warhol previu que no futuro próximo as pessoas ficariam famosas por 15 minutos. Foi o que aconteceu com nossa querida comentarista Maria Lúcia Fernandino.

P.S. 2 – Não se sabe se algum auxiliar de Bolsonaro leu o texto aqui na Tribuna ou recebeu no WhatsApp e passou para ele (o atual presidente não é chegado a leituras). O que se sabe, com toda certeza, é que a TI é lida com atenção pelo pessoal da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), pelos comandos militares e por jornalistas de todo o país, por ser considerada um veículo de opinião sem vínculo ideológico e com informações pesadas, que diariamente é acessado por milhares de pessoas que se interessam por política e economia. (C.N.)
Carlos Newton


TRIBUNA DA INTERNET | Ao postar texto do país ingovernável, comentarista da TI ficou famosa por 15 minutos

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019