Da ‘zoeira’ de engenheiro da Ferrari a problemas com pedais: como Fittipaldi testou pela Haas antes do previsto

Pietro Fittipaldi veio ao autódromo de Barcelona nesta terça-feira (19) com uma intenção clara: acompanhar o dia de testes da Haas e ficar a par de tudo antes de estrear na pré-temporada da Fórmula 1 na quarta-feira. Isso até os planos mudarem por completo: por conta de problemas com o assento de Kevin Magnussen, o piloto reserva da Haas foi convocado para uma aparição surpresa na pista. Tão surpresa que parecia até ‘zoeira’ da equipe.
Resultado de imagem para Pietro Fittipaldi veio ao autódromo de Barcelona nesta terça-feira (19) com uma intenção clara: acompanhar o dia de testes da Haas e ficar a par de tudo antes de estrear na pré-temporada da Fórmula 1 na quarta-feira. Isso até os planos mudarem por completo: por conta de problemas com o assento de Kevin Magnussen, o piloto reserva da Haas foi convocado para uma aparição surpresa na pista. Tão surpresa que parecia até ‘zoeira’ da equipe. Fittipaldi estava circulando pelo autódromo de Barcelona e analisando o comportamento dos carros. É de praxe para pilotos e engenheiros circular pelas dependências do circuito na tentativa de decifrar o desempenho de rivais. Foi no meio de uma dessas andanças que Pietro cruzou com um engenheiro da Ferrari, fornecedora de motor da Haas. “Acho que era umas 16h, eu estava só olhando os carros, os pontos de freada, como entram nas curvas...”, recordou Pietro em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “Na verdade, eu estava indo para primeira curva, porque eu estava andando aqui [paddock] e queria pegar meus óculos na sala dos engenheiros, e aí encontrei um engenheiro da Ferrari. Ele falou em italiano ‘você está pronto para entrar no carro?’, aí eu dei risada e falei ‘tô, amanhã’. aí ele falou ‘você vai entrar agora’. Achei que ele estava brincando, zoando, mas aí ele falou ‘é sério, você vai entrar’. Aí um engenheiro veio e falou para me preparar o mais rápido possível porque estavam trocando os pedais”, continuou.
Fittipaldi estava circulando pelo autódromo de Barcelona e analisando o comportamento dos carros. É de praxe para pilotos e engenheiros circular pelas dependências do circuito na tentativa de decifrar o desempenho de rivais. Foi no meio de uma dessas andanças que Pietro cruzou com um engenheiro da Ferrari, fornecedora de motor da Haas.

“Acho que era umas 16h, eu estava só olhando os carros, os pontos de freada, como entram nas curvas...”, recordou Pietro em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “Na verdade, eu estava indo para primeira curva, porque eu estava andando aqui [paddock] e queria pegar meus óculos na sala dos engenheiros, e aí encontrei um engenheiro da Ferrari. Ele falou em italiano ‘você está pronto para entrar no carro?’, aí eu dei risada e falei ‘tô, amanhã’. aí ele falou ‘você vai entrar agora’. Achei que ele estava brincando, zoando, mas aí ele falou ‘é sério, você vai entrar’. Aí um engenheiro veio e falou para me preparar o mais rápido possível porque estavam trocando os pedais”, continuou.

Da ‘zoeira’ de engenheiro da Ferrari a problemas com pedais: como Fittipaldi testou pela Haas antes do previsto

Comentários