Mudança de tratamento com a imprensa e guinada ideológica à direita pode custar caro ao Governo e ao Brasil

Veículos de imprensa (inclusive a Globo) receberam o mesmo tratamento e desprezo na posse de Bolsonaro. Todas as TV's tiveram que participar de um pool de emissoras para transmitir a posse de Jair Bolsonaro hoje.
Apenas 25 jornalistas credenciados tiveram acesso liberado ao plenário da Câmara, onde Bolsonaro foi empossado. Os demais tiveram acompanham a transmissão por telões (como o da foto) instalado no salão verde. 
Os veículos da chamada grande mídia, tanto do Brasil quanto do exterior, acostumados com entrevistas exclusivas e livre acesso por todo o perímetro foram barrados e não conseguiram se destacar na cobertura jornalística do evento. Apenas a TV Record foi privilegiada na véspera... Até a poderosa Globo sentiu o gostinho do mesmo tratamento dispensado aos veículos comuns do resto do Mundo. 
Mas a mudança de patamar ideológico que ignorou FHC, Lula e Dilma também pode ser percebido pelos estrangeiros que vieram, apenas 46 delegações vieram ao Brasil. Para prestigiar Bolsonaro não houve presença de chefes de Estado ou de governo de países do G20, as vinte maiores economias do mundo e nem o presidente Argentino se deu ao trabalho de aparecer. A guinada ideológica brasileira pode ter um custo alto para as relações exteriores. O menosprezo pelo trabalho da imprensa também.

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019