E lá se vão 17 anos desde a conquista do penta no Japão





Principal jogador na campanha do Tetra, Romário entrou para sempre na galeria de grandes craques do futebol nacional. Mas na campanha do pentacampeonato ele acabou cortado por Felipão. Ainda bem que ganhamos e a história reservou na memória outras imagens inesquecíveis do quarto título: a comemoração "embala-neném" de Bebeto, o gol de Branco contra a Holanda, as defesas de Taffarel... 
Bom, mas o assunto agora é o penta. A Seleção Brasileira vinha desacreditada para a Copa. No ano anterior, na Copa América, havia sido desclassificada de forma vexatória para Honduras nas oitavas-de-final e se classificou para a Copa do Mundo na última rodada das Eliminatórias, precisando da vitória. Somado a tudo isso, Ronaldo e Rivaldo eram incógnitas e Romário, que vivia grande fase, não foi convocado, além de várias denúncias de corrupção dentro da CBF e problemas extracampo que afetava a seleção.
Entretanto, no decorrer da Copa, o Brasil vinha fazendo uma ótima campanha, com seis jogos e seis vitórias, chegando à final, onde o adversário era a temida Alemanha, que tinha no gol o paredão Oliver Kahn, eleito o melhor jogado daquela competição.
E lá se vão 17 anos desde a conquista do penta no Japão

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019