Cuba anuncia saída do Mais Médicos por discordar de declarações de Bolsonaro. Presidente eleito oferece asilo aos que quiserem ficar

A questão em aberto é como será a transição no atendimento. Os médicos cubanos estão alocados em vagas rejeitadas pelos brasileiros. 
Milhares de comunidades e pequenas cidades do interior do país vão ficar sem médicos agora, porque, como é do conhecimento de todos, cerca de 90% dos formados em Medicina no Brasil preferem atuar nos grandes centros e não querem nem saber de ir para o interior. Num primeiro momento a saída de cubanos do Mais Médicos deve atingir as regiões Norte e Nordeste, além das periferias das regiões metropolitanas das grandes cidades. Índios também serão prejudicados.
Governo cubano afirma que declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro são ameaçadoras e inaceitáveis. "Não é aceitável que se questione a dignidade, profissionalismo e altruísmo dos colaboradores cubanos", diz Havana, ao justificar saída do Programa Mais Médicos.

Postagens mais visitadas