Declaração do comandante do Exército põe não só o STF, mas a nação em estado de alerta

      Após declaração com intuito de exercer pressão sobre os ministros do STF, feita pelo General Villas Boas, nota-se através das redes sociais uma preocupação geral, não só dos defensores de Lula ou classe política, mas da imprensa e da sociedade como um todo. Gerou uma certa apreensão sobre o que pode representar o julgamento de hoje. 
     Quem viveu ou conhece a história da Ditadura Militar no Brasil sabe o que uma ameaça como esta representa para toda a nação. O General que diz não tolerar corrupção e impunidade faz parte de um dos governos mais corruptos da história, onde o Presidente e seus ministros são "suspeitos" de muitos ilícitos. 
     Villas Boas não é contra impunidade e muito menos contra a corrupção, ele é apenas mais um que se posiciona contra Lula, e de certo imagina que prendendo o ex-presidente o Brasil vai extirpar de vez a corrupção e acabar com toda a impunidade que não por coincidência tem beneficiado os integrantes do governo do qual ele faz parte.
    O presidente Michel Temer que se silenciou sobre o tema, se reuniu ontem, no Palácio do Jaburu, com os ministros suspeitos do governo, Eliseu Padilha e Moreira Franco, após declaração do comandante do Exército, Villas Boas, no Twitter, em "repúdio à impunidade".