Goiás Esporte Clube, um time se alma e atitude de vencefor



A chacoalhada pode ter valido
a pena, pois ainda tem tempo de recuperação ou teria sido mais um tiro no pé
que dirigentes e torcedores deram em um time sem alma de vencedor. A crise, ou
as crises deflagradas no Goiás Esporte Clube eram esperadas, afinal de contas
como diz o velho ditado “Em casa com pouco pão todo mundo briga e ninguém tem
razão”.
A derrota para o Figueirense
em uma partida de seis pontos pode ser vista como uma tragédia, assim como foi
aquela derrota de virada para o Avai em outro jogo contra um concorrente direto
para fugir do Z-4. Historicamente o Goiás nunca se deu bem contra os chamados
pequenos do futebol brasileiro, mas apesar da pouca fé de sua própria torcida é
capaz de surpreender os gigantes do campeonato.
Antes que as manifestações
contrárias apareçam, reconheço que o atual time não dá muitas esperanças de que
os resultados desejados venham a acontecer, mas penso que tem muita gente se
precipitando ao afirmar que o Esmeraldino já caiu. É cedo para tal afirmação,
afinal de contas restam 27 pontos em disputa e o Goiás tem que buscar metade
disso para se manter na elite e o sacode que o Figueirense, a torcida e até o
Presidente Sérgio Rassi deram na equipe vão servir para alguma coisa nesta
imensidão de pontos que ainda restam. Se falta qualidade ao elenco, como temos
notado, é preciso sobrar atitude e vontade de permanecer na série A. Vontade
esta que vimos no Figueirense, Coritiba e Chapecoense e ainda não percebemos
tal comportamento nos jogadores do Goiás até aqui.





Mais do que jogar para vencer
é preciso ter vontade de vencer, e isso nem o mais otimista dos torcedores
esmeraldinos tem visto em campo.

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019