Diretor da Fifa admite que Copas de 2018 e 2022 podem mudar de sede

Mais do que esclarecer os atos de corrupção dos dirigentes, o FBI americano tem se esforçado mesmo é para rever o resultado das escolhas das sedes das duas próximas Copas do Mundo. Tanto Estados Unidos, quanto a Ingaterra foram preteridos nas últimas escolhas da FIFA, e não se iludam, se o Brasil não tivesse realizado à Copa com certeza entraria na roda também, pois em matéria de corrupção institucional ninguém bate o maior país da América do Sul.

Os russos colocam a diplomacia à frente dos acontecimentos, e entendem que as investigações do FBI apenas como uma forma dos americanos atingir o país de Vladimir Puttin. Após os acontecimentos relativos a Ucrânia, Washington e Londres se sentiram desafiados por Moscou, sem poder usar a força na região estariam dispostos a causar prejuízos ao povo russo com intuíto de enfraquecer a gestão de Puttin.

Nos últimos dias, a Rússia deu sinais de preocupação com o novo cenário surgido na Fifa após Joseph Blatter anunciar que deixará a presidência. O risco é maior para o Catar, especialmente pela distância até 2022, e dirigentes do país alegam até racismo nas críticas recebidas. Na eventualidade de ocorrer uma mudança, a Inglaterra é candidata forte a substituta.

O cerco sobre Rússia e Catar se fechou especialmente depois de Chuck Blazer, diretor do alto escalão da Fifa, ter admitido que aceitou suborno para eleger a África do Sul como sede da Copa do Mundo de 2010 e também ter vendido seu voto para o Mundial de 1998 - não especificou em qual país votou. Ele evidenciou aquilo que apontam as investigações: que propinas eram recorrentes na entidade, sobretudo em negociações de direitos comerciais e em votações para sedes de Mundiais.

Cabe ao Comitê Executivo da Fifa decidir sobre eventuais mudanças em sedes de Copas. O artigo 85 do estatuto da entidade abre a possibilidade. O texto é vago. Fala que a competição pode ser revista em “circunstâncias imprevistas e de força maior”. Aí entra o Comitê Executivo, que tem “a decisão final sobre quaisquer assuntos não previstos no estatuto”.
Diretor da Fifa admite que Copas de 2018 e 2022 podem mudar de sede



Diretor da Fifa admite que Copas de 2018 e 2022 podem mudar de sede

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019