Fiscalização, três turnos de trabalho e mais uma injeçãozinha de R$ 38 milhões salvam Curitiba na Copa

O Fomento Paraná, instituição financeira controlada pelo governo do estado, liberou R$ 38 milhões para garantir a conclusão da obra em tempo hábil. 

O novo prazo final determinado é o dia 15 de maio, praticamente um mês antes do primeiro jogo marcado para a cidade, que será disputado por Irã e Nigéria no dia 16 de junho.

- O ritmo apontava para a não conclusão do estádio. Agora, aponta claramente para a conclusão em tempo e com a qualidade de obra necessária para a realização da Copa do Mundo.

Os principais avanços nessas três semanas consistem na instalação do gramado e de cerca de 15 mil assentos, da cobertura principal do estádio e da energização de uma estação de abastecimento de energia elétrica para o estádio, aspecto que tirou o sono do secretário-geral da Fifa, Jèrôme Valcke, por conta da transmissão das partidas para diversos países.

Porém, a situação está longe de ser considerada tranquila. A fiscalização será ainda mais intensa. Aliás, segundo Jèrôme Valcke, se não fosse a intervenção do governo federal, Curitiba estaria fora da Copa.
Leia mais: Fiscalização, três turnos de trabalho e R$ 38 mi salvam Curitiba na Copa | globoesporte.com

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019