Por Marina Silva, Eduardo Campos retiraria apoio ao PSDB em São Paulo, mas palanque duplo não é descartado

Eduardo Campos e o PSB de Romário na filiação de Marina Silva após o naufrágio da Rede      
A decisão de Campos de aceitar retirar o apoio a Alckmin se deve a uma reavaliação de sua estratégia. O pernambucano acredita que ter a ex-ministra na sua chapa compensa o desmanche de alianças que estavam em curso. Segundo um companheiro de partido, o governador considera que a presença da Marina na chapa fortalece muito a candidatura Campos, tanto em São Paulo quanto nos palanques das cidades maiores e mais politizadas.

No encontro, a direção da Rede sinalizou concordar com um "pacote" para diminuir a tensão entre os dois grupos. Com a perspectiva de lançamento de uma candidatura própria ao governo de São Paulo, admite o anúncio antecipado de que Marina será vice na chapa com Campos. A expectativa é que esse anúncio ocorra até meados do próximo mês, segundo Bazileu Margarido, coordenador executivo da Rede.

— Esse é um assunto que está sendo tratado desde 5 de outubro, quando houve a união formal com o PSB. A expectativa do partido é a da candidatura de Marina a vice.

Nas várias conversas que teve com o presidente do diretório paulista do PSB, deputado Márcio França, o governador de Pernambuco ouviu a defesa da aliança com Alckmin. Nas negociações havia até a possibilidade de França ser o candidato a vice na chapa que concorrerá à reeleição.

Campos, no entanto, sabe que o palanque principal de Alckmin será reservado ao provável candidato tucano à Presidência, senador Aécio Neves (MG), que precisa conquistar uma grande votação em São Paulo.

Como Aécio acredita que obterá, em Minas Gerais, uma frente superior a 3 milhões de votos sobre Dilma Rousseff, uma vitória com razoável número de votos em São Paulo anularia a vantagem que a presidente tende a ter nas regiões Norte e no Nordeste. Neste cenário, a avaliação é que em São Paulo Campos seria sempre um candidato de segundo escalão no palanque de Alckmin e a garantia de Marina na vice contaria muito mais do que a presença de França na vice do governador tucano.
Leia mais: Por Marina, Campos retiraria apoio ao PSDB em São Paulo - Notícias - R7 Eleições 2014

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019