Além de não dar legado econômico, Copa do Mundo pode ameaçar imagem, diz analista

"A Copa será uma grande oportunidade para acelerar o crescimento e fundamental para o desenvolvimento do nosso Brasil", disse, em 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dando o tom da grande expectativa sobre o papel que o torneio em junho/julho de 2014 poderia ter no país.

Mas a visão de que o evento possa estimular o crescimento ou o desenvolvimento de um país é questionada pelos autores de um livro que analisa o impacto de Copas sobre a economia de nações que as sediaram.
"A ideia de que a Copa vai impulsionar a economia é um mito", disse à BBC Brasil o jornalista britânico Simon Kuper, autor de Soccernomics, escrito em parceria com o economista britânico Stefan Szymanski.

"Sediar uma Copa do Mundo não traz nenhum legado econômico. Se você quer impulsionar a economia com o dinheiro do povo, que paga impostos, é melhor investir em escolas e hospitais", disse Kuper.

Já para o Ministério do Esporte, porém, a Copa do Mundo é uma grande oportunidade para o Brasil acelerar investimentos em infraestrutura e qualificação de mão-de-obra. "São investimentos já previstos anteriormente, mas que foram antecipados por ocasião do Mundial", diz uma nota enviada pela assessoria da pasta.
Leia mais: Além de não dar legado econômico, Copa pode ameaçar imagem, diz analista - Terra Brasil

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019