Brasil quer fechar empresas cúmplices de espionagem

A indignação brasileira pode se alastrar pelo Mundo e os EUA ficar em Maus lençois
A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, anunciou que serão introduzidas alterações na legislação de forma a evitar que o país seja alvo de esquemas de espionagem internacionais.

O anúncio foi feito após uma reunião de urgência com o ministro-chefe da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho e os ministros José Eduardo Cardozo, da Justiça, Celso Amorim, da Defesa, Paulo Bernardo, das Comunicações, Helena Chagas, da Comunicação Social, José Elito, do gabinete de Segurança Institucional e Luiz Alberto Figueiredo Machado, das Relações Exteriores, para discutir a resposta à espionagem dos EUA.

Entre várias medidas, Dilma Rousseff pretende criar uma lei que permita punições para as empresas que sejam cúmplices de espionagem, podendo mesmo encerrar as suas atividades.

"Pode ser banco ou empresa de telefonia. Se cooperarem com esses esquemas, terão a licença de operação aqui no Brasil cancelada", afirmou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, citado pelo jornal "O Estadão."

Leia mais: Brasil quer fechar empresas cúmplices de espionagem - Expresso.pt

Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019