Estado busca soluções p/ a saúde @Reinaldo_Cruz @Blogdozurc @BUG_SPL http://flic.kr/ps/24tYPE #QuestãoBrasil @NoticiaExata

Reunião com gestores das unidades de saúde em Goiás
Fotos: Eduardo Ferreira / Goiás Agora
Solucionar em definitivo os problemas na saúde pública goiana motivou o governador Marconi Perillo a estabelecer uma força-tarefa com os secretários Antônio Faleiros (Saúde), Giuseppe Vecci (Gestão e Planejamento), Simão Cirineu (Fazenda), Vilmar Rocha (Casa Civil), Ronald Bicca (Procurador-Geral do Estado), Marcelo Celestino (promotor de Justiça da área da Saúde) e os diretores dos cinco principais hospitais públicos de Goiás – HGG, HDT, Hugo, Materno Infantil e Huapa.  As medidas foram tratadas durante reunião hoje de manhã, no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, para executar ações estratégicas com foco nas soluções burocráticas, jurídicas e estruturais para as questões da saúde.
Após a reunião com a comissão, Marconi Perillo concedeu entrevista quando falou dos pontos de maior empenho do governo. Sobre a administração dos hospitais públicos pelas Organizações Sociais – OSs, Marconi mencionou a intenção de criar um Conselho Estadual, com a  participação de um ombudsman indicado pelo Ministério Público, voltado para fiscalizar e regulamentar a atuação das OSs à frente dos hospitais. “Precisamos driblar a burocracia presente no dia a dia da gestão hospitalar e dar maior eficiência à saúde oferecida ao cidadão goiano”, reforça.
Hospitais O governador determinou como prazo limite até a próxima quarta-feira, a entrega da escritura definitiva da área onde hoje está o Materno Infantil. A medida visa oferecer ao Estado os instrumentos jurídicos necessários para a construção dos hospitais da Criança e da Mulher, em área compartilhada com a do Materno Infantil.
O mesmo empenho está sendo dedicado na desapropriação da área que será utilizada para a construção do Hospital de Urgências da região Noroeste da capital. Apesar dos projetos dos novos hospitais dependerem de pareceres e de processos jurídicos, a expectativa do governador é iniciar a construção das obras, mediante parcerias público-privadas, até julho de 2012.
“À medida que nós conseguirmos resolver a questão do funcionamento ideal desses hospitais e construirmos o hospital da região Noroeste e do Hospital da Mulher, com certeza nós teremos um padrão de serviço de saúde muito melhor do que o que se praticou ao longo dos anos”, ressaltou Marconi.



Comentários

Questão Brasil - 09/04/2019